clínica médica

Encontre aqui conteúdos sobre impostos, recuperação tributária,  planejamento tributário e eficiência financeira para a sua clínica médica.

Artigos e guias que detalham estratégias e soluções legais para reduzir a carga tributária, otimizar recursos financeiros e garantir saúde financeira para o seu negócio na área da saúde.

Descubra a importância da análise criteriosa dos tributos pagos e a realização de um planejamento tributário estratégico para aproveitar incentivos fiscais e evitar pagamentos indevidos.

Além disso, encontre informações claras sobre a legislação vigente, proporcionando um entendimento abrangente das obrigações fiscais.

Conteúdos essenciais se você deseja que a sua clínica médica tenha saúde financeira. Além de garantir a conformidade fiscal e poder alocar recursos de maneira mais eficaz, contribuindo para a sustentabilidade e crescimento do negócio.

A sua clínica médica está pagando imposto a mais? Descubra

A sua clínica médica está pagando imposto a mais? Descubra

Saiba como evitar que o seu negócio perca dinheiro e entenda como aumentar a lucratividade

Toda empresa precisa pagar impostos e com o negócio médico não é diferente. Mas, será que a sua clínica médica está pagando imposto a mais? De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), divulgados pelo site Impostômetro, cerca de 95% das empresas pagam mais impostos do que deveriam.

Isso porque a legislação tributária brasileira é muito complexa, com mais de 40 mil leis tributárias em vigor. É necessário manter os tributos em dia para continuar o trabalho dentro da lei, mas, não é certo e nem justo com você, médico, pagar mais impostos do que deveria. Por isso, atente-se a essas dicas para saber se a sua empresa médica está pagando impostos de maneira adequada.

Alíquota efetiva do IR

É preciso que os médicos saibam a alíquota efetiva, que é o percentual final de imposto de renda que vai incidir sob os seus rendimentos. Por exemplo, quanto a empresa paga por faturar R$ 100 mil por mês? Este é o ponto de partida. “Tem profissionais que não sabem responder a esta pergunta básica, que deve ser compreendida por todos que decidem empreender na área médica”, afirma Júlia Lázaro, CEO e fundadora da Mitfokus.

Além disso, entender a alíquota efetiva do imposto ajuda a identificar possíveis problemas ou oportunidades de economia fiscal. Se você descobrir que está pagando uma taxa muito alta de imposto em relação à sua renda, pode ser necessário uma análise para ajustar sua estratégia fiscal e reduzir a sua carga tributária.

Por outro lado, se você descobrir que está pagando menos impostos do que esperava, pode ser uma oportunidade para aumentar sua renda ou aproveitar mais deduções fiscais.

Regime tributário

Outro ponto é saber qual o melhor regime tributário para a clínica, se Simples Nacional ou Lucro Presumido. Para ser enquadrada no Lucro Presumido, por exemplo, a empresa médica precisa ter uma receita bruta anual de até R$ 78 milhões/ano.

Em contrapartida, no Simples Nacional, o rendimento é de até R$ 4,8 milhões/ano. Hoje, o Simples Nacional está dividido em cinco anexos, distribuídos conforme o tipo de atividade, com seis faixas de receitas e diversas alíquotas distintas.

Para saber em qual anexo se enquadra a sua clínica médica, é importante contar com um contador especializado na área médica, pois somente com uma análise detalhada das atividades exercidas pela empresa é possível encontrar o melhor enquadramento e evitar problemas futuros com a fiscalização.

Planejamento tributário

O planejamento tributário é uma estratégia que busca otimizar a carga tributária da empresa, identificando as melhores formas de reduzir o valor dos impostos pagos e evitar problemas com o Fisco.

Sem plano estratégico, operacional e corretivo, a empresa fica vulnerável ao pagamento incorreto de tributos e multas, ocasionando até mesmo problemas de imagem (reputação). E se o pagamento de impostos por si só já é uma atividade que gera preocupação, imagina quando existe a bitributação? 

Isso é muito comum ocorrer na área médica, que é quando dois direitos públicos (seja União, Estado ou Município) cobram da Pessoa Física ou Jurídica o mesmo tributo. Isso ocorre, por exemplo, quando uma clínica fica localizada na fronteira de dois estados. Ela pode ser taxada pelas duas regiões, e isso pode comprometer o fluxo financeiro da empresa.

Então, para evitar essa bitributação e outros problemas relacionados ao pagamento de impostos a mais, é essencial que a empresa coloque na ponta do lápis todas as informações, como receita bruta da pessoa física e jurídica, faturamento, fluxo de despesas operacionais, serviços prestados, margem de lucro, atual situação financeira da empresa, entre outros pontos. Neste caso, contar com uma contabilidade médica é primordial.

Gestão financeira e fiscal

Atualmente, é imprescindível contar com uma plataforma para fazer a gestão financeira e fiscal de uma clínica médica. Com uma solução inteligente, é possível emitir notas fiscais com praticidade, fazer a gestão segura de documentos, acompanhar o faturamento, ver sua economia em impostos, e muito mais. 

Para ser ainda mais assertivo, um time de especialistas na área médica auxilia a escolher o plano mais adequado para o seu negócio, tudo 100% online.

Para saber se a sua clínica médica está pagando imposto a mais, entre em contato conosco clicando aqui.

Posted by Imprensa Mitfokus in Conteúdo para Médicos, Pagar menos impostos, 0 comments
Recuperação de R$1,2 bilhão em impostos por clínicas

Recuperação de R$1,2 bilhão em impostos por clínicas

Devido à falta de uma gestão contábil e fiscal especializada na área da saúde, clínicas médicas estão pagando mais impostos do que deveriam

Clínicas médicas pagam impostos a mais. É isso o que revela uma pesquisa realizada pela Mitfokus.

Com base em seu histórico de consultoria na área financeira da saúde, a empresa estima que essas clínicas poderiam reaver cerca de R$ 1,2 bilhão em tributos pagos a mais. O sócio da Mitfokus, Tiago Lázaro, ressalta que essa quantia pode ser ainda maior, estimando que existam aproximadamente 25 mil clínicas no país que realizam exames ou procedimentos, com uma média de reembolso de R$ 50 mil por cliente.

Segundo especialistas, é possível recuperar esse montante em tributos federais, como Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), por meio de uma solicitação administrativa junto à Receita Federal, sem a necessidade de recorrer ao poder judiciário. Recomenda-se a judicialização apenas para empresas médicas que não possuem a infraestrutura de uma clínica.

O processo de solicitação de restituição envolve uma análise fiscal que muitas vezes é desconhecida pelos profissionais da área da saúde, como médicos, administradores e contadores. Casos de clínicas que gastam mais do que o necessário e desperdiçam recursos foram mencionados na matéria do Estadão, destacando a importância de buscar essa recuperação.

O levantamento realizado pela Mitfokus é considerado conservador, baseando-se em um número de clínicas abaixo do total existente no país. Além disso, os cálculos não levam em conta os gastos com tributos municipais, como o Imposto Sobre Serviços (ISS), que muitas vezes são pagos em excesso ou há bitributação quando há prestação de serviços em diferentes cidades.

Nesses casos, a judicialização é recomendada para recuperar esses impostos pagos a mais. O sócio da Mitfokus destaca que se considerarmos a quantidade de ISS pago a mais pelas clínicas, o montante de R$ 1,2 bilhão aumenta exponencialmente.

Para os consultores, esse levantamento reforça a importância das clínicas médicas contarem com uma contabilidade médica. Essa gestão específica, combinada com um planejamento tributário adaptado às particularidades de cada setor e município, evita desperdícios que podem comprometer a sustentabilidade econômica das clínicas no Brasil.

Clínicas médicas pagam impostos a mais. Leia a matéria completa no site do Estadão.

Posted by Mitfokus in Dados sobre a área médica, Pagar menos impostos, 0 comments
Unimed: participar da cooperativa representa muitas vantagens para a clínica

Unimed: participar da cooperativa representa muitas vantagens para a clínica

Para vincular a clínica à cooperativa, é necessário preencher alguns requisitos, a começar com pré-cadastro, documentação específica e relatório dos equipamentos, além da capacidade de funcionamento do local

Com 18 milhões de clientes beneficiários e presente em 86% do território nacional, o Sistema Unimed, que nasceu com a fundação da Unimed Santos (SP) pelo seu idealizador, o médico Edmundo Castilho, corresponde à composição de todas as Unimeds do Brasil. Hoje, o agrupamento é constituído por 348 cooperativas, com 114 mil profissionais cooperados, 2.719 hospitais credenciados e 113 hospitais próprios.

A atuação desse sistema acontece por meio do cooperativismo, que é a colaboração entre indivíduos com interesse em comum, e na legislação brasileira está previsto na Lei n. 5.764, de 16 de dezembro de 1971, a qual define a Política Nacional de Cooperativismo e institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, que podem ser compreendidas como um agrupamento de pessoas com os mesmos interesses econômicos e sociais, cujo propósito é angariar vantagens comuns nas suas atividades. Juntos, esses grupos têm capacidade e força para almejar o desenvolvimento de outros indivíduos.

Tamanha é a importância das cooperativas, que há um dia especial para elas: em todo o mundo, desde 1923, celebra-se no primeiro sábado do mês de julho o Dia Internacional do Cooperativismo. Em 1995, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou a data oficialmente e estabeleceu sua celebração anual.

De modo geral, no Brasil, mais especificamente no Sistema Unimed, o cooperativismo ocorre por meio da união de médicos para a prestação de serviços no mercado, pela associação de profissionais sócios-cooperados, oferecendo conjunturas mais prósperas para todos os envolvidos, sejam eles clientes ou associados.

Em cada região, há uma Unimed própria. No Rio Grande do Sul, por exemplo, o Sistema Cooperativo Empresarial Unimed/RS cobre cem por cento do território gaúcho, e é liderado pela Unimed Federação/RS.

O sistema é composto por 27 Unimeds Singulares; pela Unimed Central de Serviços-RS; pela Uniair (transporte aeromédico e táxi aéreo); pela Unicoopmed; pelo Instituto Unimed/RS; e pela Casa da Memória Unimed Federação/RS.

Por este exemplo, fica mais simples entender que cada região tem uma Unimed para atuar de forma individual na prestação de serviços daquela localidade específica. Tal organização, todavia, integra o sistema por meio das federações (estaduais ou intrafederativas) ou pela Central Nacional Unimed, carregando consigo a marca de todo o sistema.

Portanto, tanto para o médico que atua individualmente quanto para quem tem uma clínica médica, há muitas vantagens em fazer parte da Unimed.

O primeiro benefício, sem dúvida, é que, com a celebração do convênio, os profissionais têm uma demanda maior de pacientes, que já se convenceram de que os convênios são uma excelente alternativa para realizar consultas ou exames, que, se feitos via particular, podem ser bem mais onerosos e demorados.

Ademais, outro fato a favor é que muitas empresas oferecem convênio médico aos funcionários, e o benefício estende-se aos seus familiares, que contam com consultas e exames ilimitados, além da garantia de tratamento para seus problemas de saúde.

Mas, além dos benefícios, há algumas incumbências por parte do profissional da saúde. Uma delas diz respeito ao fato de que todo o médico cooperado tem seu imposto retido na fonte, pela fonte pagadora e, portanto, deve encaminhar a declaração de acordo com os termos, seja da Previdência Social, para o INSS, ou da Receita Federal, para o IRPF.

Nesse aspecto, é recomendável que o médico tenha muita atenção, porque quanto mais fontes de renda, maiores serão as suas contribuições para os órgãos do governo. Vamos supor que estejamos aqui falando de um profissional que ganhe dinheiro com consultas diariamente, muitas delas particulares, mas outras pela Unimed. Porém, também como complementação de renda, ele realize plantões em hospitais, ministre cursos on-line e ainda produza conteúdo para o YouTube, ajudando milhares de pessoas com informações sobre saúde e bem-estar. Tudo isso deve ser declarado, portanto, é aconselhável buscar ajuda especializada porque, mesmo a grade curricular da Medicina sendo bastante completa, trata-se de um curso que não aborda temas como educação financeira ou retenção de impostos, taxas e contribuições.

Nesse sentido, a Mitfokus Contabilidade Médica tem em seu portfólio de produtos o “Livro Caixa”, que consiste no controle de todas as receitas e despesas efetuadas pela pessoa física e tem por objetivo a redução do imposto e das contribuições de forma totalmente lícita. Logo, através da solução, é possível economizar com segurança, ter maior controle financeiro sobre as operações e minimizar o risco de problemas com os órgãos arrecadatórios.

Vamos a um exemplo: recentemente, um ortopedista com faturamento de R$ 50 mil ao mês procurou a Mitfokus. Só de IRPF ele pagava R$ 13,7 mil.

Depois de passar pela análise, foi descoberto que ele tinha direito a reduzir 20% dos tributos anuais, por conta de várias despesas dedutíveis, como manutenção da clínica, insumos utilizados para o desempenho da atividade, contribuições obrigatórias para entidades de classe e outras. Agora, ele está desembolsando para o governo R$ 2,750 mensal.

A economia que esse médico terá em 40 anos é de R$ 1,3 milhão. O volume de dinheiro é robusto; logo, precisa ser avaliado com muita atenção.

Outra questão: antes da prestação de serviços para a Unimed, é necessário, para o médico, cumprir alguns requisitos, a começar pelo preenchimento de um pré-cadastro detalhado no qual a clínica se submeterá a algumas fiscalizações que comprovarão a aptidão da instituição para vincular-se (ou não) ao plano de saúde.

Nessa parte, também é fundamental contar com especialistas para que o convênio seja aceito o mais rápido possível e a pessoa já consiga receber os pacientes mediante o pagamento da taxa de cota (que pode variar de acordo com algumas circunstâncias).

Aprovado, o profissional passa a fazer parte do Guia Médico, plataforma oferecida pela Unimed em que qualquer paciente pode procurar por médicos ou clínicas conveniadas próximas para realizar consultas e exames. O serviço é excelente para todos os médicos, mas principalmente para os que estão no início da carreira e precisam impulsionar o nome no mercado.

A Mitfokus Contabilidade Médica, em 2022, atendeu mais de 40 especialidades médicas e fechou o ano com mais de 1.200 médicos como clientes. Todos os meses, a startup realiza aproximadamente 45 livros-caixa para médicos que têm convênio com a Unimed.

Posted by Imprensa Mitfokus in Contabilidade para médicos, 0 comments